Arquivo para setembro \27\UTC 2007

27
set
07

História e os Dez Mandamentos

logo.PNGNo último domingo (23/09), tive o privilégio de ouvir uma pregação do Pr. Gustavo Bessa, a quem muito admiro, e para minha surpresa, em sua introdução à pregação, ele falou sobre a nossa dificuldade de entender a história como um processo único.

Percebi isto como uma confirmação de Deus para este blog, para o que Ele tem me falado nos últimos dias. Temos que nos lembrar da nossa história!

Para começar, ele utilizou um excelente exemplo de um telejornal, onde vemos uma reportagem sobre um acidente com uma família e então começamos a nos condoer com a história, nos identificamos com os familiares, as vezes começamos até e interceder por aquela família, mas em questão de minutos a reportagem acaba e começa uma outra sobre as baleias Jubarte, e então somos entretidos por esta reportagem e tudo que começou se perde, e já esquecemos da reportagem anterior.

Hoje nossa vida está do mesmo modo, nos esquecemos facilmente daquilo que vivemos, temos que nos adaptar de maneira frenética aos acontecimentos que nos cercam, e como conseqüência, a nossa história se perde.

O Pr. Gustavo ainda fez uma menção aos acontecimentos do antigo testamento, nos lembrando, assim como o autor de hebreus (vide texto: “Diálogos de Ontem…”), que o mesmo Deus que atuou no Antigo Testamento, atuou no Novo Testamento e atua em nossas vidas hoje.

Ainda observou que muitos acreditam que o Deus guerreiro, como é apresentado no AT, não é o mesmo do NT, pois este último é um Deus compassivo e amoroso, esta observação me fez recordar de um livro que li recentemente que discute justamente sobre isso “Deus mandou Matar?” com edição do Stanley Grenz, que mais tarde postarei uma resenha por aqui; mas é certo que Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre (Hb 13:8)! Jesus no NT é a revelação do Deus do AT, aquele mesmo Deus chamado de “Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó”, que inclusive sendo chamado assim, faz referência a uma continuidade histórica, a pessoalidade e a fidelidade deste Deus vivo!

Não podemos nos esquecer do que já aconteceu.

Prosseguindo a pregação, ele fez um panorama sobre os dez mandamentos, pois mesmo sendo escrito a tanto tempo e pertencendo aos livros do AT, regem a nossa vida. 

“Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.” Ex 20:1-2

Muitos de nós recordamos apenas das obrigações, regras e os “não” que os dez mandamentos nos trazem, mas logo no princípio, vemos justamente o “sim” do Senhor para nós, que mesmo sendo pecadores, recebemos sua vida, perdão e salvação.

“Não terás outros deuses diante de mim; Não farás para ti imagem de escultura” Ex 20:3-4

A exclusividade exigida pelo Senhor nestes mandamentos era acima de tudo para que ficasse claro que foi Ele que tirou o povo do Egito, assim como hoje Ele quer que fique bem claro que foi Ele quem perdoou nossos pecados e nos salvou. Deus deseja 100% de nós.

“Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão…” Ex 20:7

Este mandamento, acredito que nós faz reconhecer a importância deste nome, e em sinal de respeito não devemos tomá-lo em vão. (Ver Mt 5:33-37)

“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.” Ex 20:8

O Senhor nos proporciona o descanso, momento de nos dedicarmos a Ele e também aos nossos familiares. Como criaturas de Deus devemos observar seu próprio comportamento na criação do universo, onde no sétimo dia descansou. Nenhuma atividade deveria ser executada no sábado para que os servos também descansassem, assim como o Senhor resgatou os israelitas da escravidão no Egito.

“Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá.” Ex 20:12

Este é o primeiro mandamento bíblico com promessa. Este mandamento reflete o desejo e o cuidado do Senhor com a família enquanto instituição. Neste mandamento, observamos obediência, cuidado e zelo como forma de honrar nossos familiares.

“Não matarás.” Ex 20:13

Sendo o Senhor o único doador de vida, Ele também deve ser o único a tirá-la. Todos os atos de injustiça que tendem a abreviar a vida; o espírito de ódio e vingança, ou a condescendência de qualquer paixão que leve a atos ofensivos a outros, ou nos faça mesmo desejar-lhes mal (pois “qualquer que aborrece seu irmão é homicida”); uma negligência egoísta de cuidar dos necessitados e sofredores; toda a condescendência própria ou desnecessária privação, ou trabalho excessivo com a tendência de prejudicar a saúde – todas estas coisas são, em maior ou menor grau, violação do sexto mandamento.

“Não adulterarás.” Ex 20:14

Adultério é apresentado de um modo geral, não sendo resumido apenas no adultério conjugal, mas também ao espiritual, como mencionado no primeiro e segundo mandamento. (Ver Gn 39:9)

 “Não furtarás.” Ex 20:15

Este mandamento exige a integridade do nosso caráter, tanto publicamente como particularmente, assim como o décimo mandamento. Esta é uma condenação direta ao furto e roubo. Deve ser observado ainda toda tentativa de proveito pela ignorância, fraqueza ou infelicidade de outros.

“Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.” Ex 20:16

A língua é uma arma que se não bem manejada, pode causar sérios danos, assim como se for utilizada sabiamente, pode causar benefícios incalculáveis. Jesus nos ensina como proceder sabiamente: “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não.” Mt. 5:37

“Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo…” Ex 20:17

A desobediência interna (íntimo) equivale a desobediência externa. Devemos manter nossos pensamentos cativos a Cristo, logo isso afasta pensamentos errados.

25
set
07

Um memorial eterno para a nossa geração

Antes de mais nada, você sabe o que é um memorial, não sabe? Não é necessário muito esforço para entender o significado dessa expressão, uma vez que ela, em si, já diz tudo.

Memorial é uma referência à memória, à lembrança. Assim, um memorial é algo construído para nos fazer lembrar de alguém ou de alguma coisa. Algo que jamais deve ser esquecido.

Um memorial é uma espécie de símbolo ou registro de alguém ou de algum acontecimento importante. De modo que, se olharmos para um, logo nos recordaremos de algo ou seremos remetidos a um passado não tão distante. Podemos citar como memorial as estátuas e os monumentos por exemplo.

Em Josué há um texto que faz menção a um memorial. Assim está escrito em Josué capítulo 22, verso 10: “Vindo eles para os limites pegados ao Jordão, na terra de Canaã, ali os filhos de Rúben, os filhos de Gade e a meia tribo de Manassés edificaram um altar junto ao Jordão, altar grande e vistoso”.

As duas tribos e meia de Israel receberam por herança uma terra, que era distante do restante das tribos. Essa terra era uma herança dada pelo próprio Senhor(veja versos 11 a 9 do cap. 22). Em resposta a essa dádiva recebida, essas duas tribos e meia de Israel decidiram então construir um memorial. Um memorial para as próximas gerações que viriam – algo a ser lembrado e seguido.

Não dá para negar que as dádivas e as bênçãos que temos recebido hoje do Senhor são inúmeras, muitas. Fica difícil até – para não dizer impossível – construir um memorial para cada uma dessas dádivas ou bênçãos.

Mas um fato também é inegável: somos uma geração sem memória. E uma geração sem memória é uma geração sem História. Nos dispersamos com muita facilidade. “Esquecemos com muita facilidade daquilo que precisa ser lembrado e nos lembramos com maior facilidade ainda daquilo que precisa ser esquecido”. O mundanismo, o ativismo ou até mesmo os próprios retiros religiosos tentam desviar nossa atenção do verdadeiro Jesus ressurreto e da realidade de Seu Reino e da Sua iminente volta.

Somos o registro – o memorial – vivo de Jesus (veja II Cor. 3: 3-8, 17, 18).

O mundo olha para nós como algo a ser lembrado. ( veja Hb. 12:1,2). É necessário prosseguir para o alvo.

Que marquemos então nossa geração. E sejamos um memorial. UM MEMORIAL VIVO E ETERNO DE JESUS. 

Por Nívea Soares

Visite: www.niveasoares.com

21
set
07

Diálogos de Ontem…

“Lembrai-vos, porém, dos dias passados…” (Hb 10:32) 

A carta aos hebreus foi escrita por volta do ano 70 d.C. quando judeus convertidos estavam enfrentando uma séria crise. Havia rumores de que estes convertidos estariam retornando às praticas judaicas e que alguns estavam tentando mesclar os ensinos e doutrinas judeus com os cristãos, ou seja, este povo havia se esquecido das experiências marcantes que viveram, e estavam perdendo sua identidade cristã. Neste contexto, o autor do livro de Hebreus escreve a estas pessoas com o intuito de fazê-las lembrar das experiências passadas, da história e principalmente da supremacia de Cristo. 

Hoje, vivemos situações semelhantes aos que os hebreus estavam atravessando naqueles tempos. Podemos ver várias religiões, filosofias e ideologias surgirem a cada instante, deturpando o sentido original em que são baseadas e principalmente dispersando e manchando a identidade de um povo. Quantas novas religiões você conhece que se dizem evangélicas e que deturpam por completo os princípios cristãos? Quantas pessoas você conhece que um dia estavam cheias do Espírito Santo e que acabaram desviando por permitirem que as circunstâncias os envolvessem? 

Nossa geração, infelizmente, possui a incrível capacidade de esquecer as coisas passadas, característica que se torna ainda mais marcante na sociedade brasileira. Desta forma, temos a tendência de esquecer facilmente do que aconteceu. Vamos fazer um teste rápido? – O que sua mãe, pai, esposa(o), irmã(o), por exemplo, disse para você ontem? 

As vezes fica muito difícil responder esta questão, não é mesmo? Pois é, aí está um problema sério! Se não lembrarmos dos dias passados, corremos sério risco de cometer os mesmos erros, de minimizarmos nosso relacionamento com o Senhor, de perdemos nossa identidade, assim como os judeus hebreus. 

São as lutas do passado que nos impulsionam. Podemos contemplar o cuidado do Senhor em situações passadas e confiar em sua fidelidade. Contudo, certas situações nós devemos esquecer, como por exemplo, o pecado após arrependimento e confissão, pois até mesmo o Senhor lança no mar do esquecimento essas coisas, e nós não podemos fazer diferente. Mas das vitórias, bênçãos, graças e da comunhão com Jesus, não podemos nos esquecer jamais! 

No capítulo 11 do livro de Hebreus, vemos um forte e poderoso antídoto para situações como essa. Lembrar das vitórias passadas. Este capítulo é comumente conhecido como a “Galeria da Fé”, onde o autor do livro relata a história e testemunho de perseverança de muitos personagens do passado. Abel, Enoque, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Josué e outros foram citados nesta carta com o objetivo de resgatar a identidade destas pessoas, trazer a memória a história deles mesmos, que em algum momento foi esquecida. 

Certa vez ouvi uma pregação do Pr. Marco Feliciano que justificava o domínio e força dos Estados Unidos pelo patriotismo que a população americana possui. Patriotismo que provem da série de vitórias em batalhas e pela grande quantidade de super-heróis que eles possuem, mas como o próprio pastor completou, o povo cristão deve então ser muito mais poderoso, porque nenhum outro povo possui tantos heróis quanto o povo cristão, e principalmente, nenhum possui O Herói dos heróis, Jesus Cristo. 

“E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas, os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos.” Hb 11:32-34. Temos muito o que recordar. 

No relato da sexta-feira 31 de agosto, Ana Paula do Diante do Trono, registra em seu blog a seguinte passagem: “A Europa é História, é uma viagem no tempo, é relembrar as pessoas e os acontecimentos do passado. Isso vem a calhar com o que Deus tem falado ao meu coração nos últimos tempos. Nós, no Brasil, não temos muito costume de registrar, de honrar, de ler sobre o passado, de imortalizar a História. Creio que podemos melhorar isso. Lá mesmo em Lagoinha, estamos comemorando o Jubileu de 50 anos. Temos feito alguns esforços para relembrar e registrar a história, honrar os que semearam as bênçãos que colhemos hoje. Mas creio que podemos fazer muito mais. 

Fiquei maravilhada com o Museu das Armas. Apesar de ser um lugar triste, pois fala de guerras o tempo todo, pude entender um pouco melhor o patriotismo que os franceses, os alemães, os povos guerreiros em geral têm. Nós no Brasil temos a virtude de não termos muitas guerras em nossa história. Mas, por outro lado, isso nos deixou um pouco desapegados, sem o orgulho que estes povos carregam quanto à sua terra natal.” isso vai justamente de encontro com os registros do livro de Hebreus! 

Existe uma necessidade nesses dias de lembrarmos do passado, da nossa história, da nossa identidade… 

Que lembremos então da nossa história, do nosso povo, dos nossos heróis, das suas vitórias, dos acontecimentos, das promessas, das bênçãos, dos exemplos, dos nossos familiares, das conversas, dos pensamentos, dos diálogos de ontem, e assim resistir a tentação de desistir e que prossigamos para o alvo, guardando nossa fé e confiando plenamente nas promessas, pois quem as fez é suficientemente fiel para cumpri-las.

Abraços.

19
set
07

Nossa cara!

555.gif 

Você já percebeu como reconhecemos certas marcas a distância?

Pois é, foi pensando nisso que criamos a logo acima. Ela é simples, mas também marcante.

Espero que tenham gostado!

Abraços.

14
set
07

Olá mundo!

Mundo…

Que o mundo saiba que existe um passado, que um preço foi pago para que pudéssemos viver o que vivemos hoje. 

Lendo um texto “Um memorial eterno para a nossa geração que futuramente publicarei por aqui, percebi a necessidade de recordar e resgatar o passado. Registrar o presente, que futuramente será nosso passado, pode ser um bom começo. 

É dado início então a essa jornada, na total dependência de Cristo! 

Que tragamos a memória, o que certamente nos dá esperança… (Lm 3:21 / Hb 10:32) 

Abraços




"Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados..." Hebreus 10:32
setembro 2007
D S T Q Q S S
    out »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Categorias