Arquivo para novembro \30\UTC 2007

30
nov
07

Se não puder andar… se arraste, mas não pare. (M. Luther King)

pegadas.png

logo.PNGNão sei se você já sentiu a dor da traição. Não sei quantas vezes você pensou em desistir, não posso imaginar o nível da dor do seu coração agora… mas uma coisa eu sei e estou muito certa ao declarar… Ele já passou por isso e sabe muito bem como vais terminar.

Eu nunca tinha sentido a dor do coração paterno de Deus. Mas agora posso dizer que sei um “pouquinho” o que isso pode ter significado para Ele. A dor de ver o seu filho traído, machucado, ferido, humilhado.

A dor da impotência diante do sofrimento de alguém a quem você ama como à sua própria vida. A dor… de saber que você precisa morrer e perdoar. Quando seu coração clama por vingança e você escuta a doce voz do Senhor que te diz: Filho, perdoa, por amor a mim, ame.

E você não consegue andar… a dor te para, te estagna… te consome por dentro. Te aperta tanto o coração que fica difícil respirar… A boca fica seca, o apetite some… você não encontra repouso…

Até que você entra nos átrios do Senhor. E você pensa naquela cruz. Você se identifica com o Cordeiro. Você entende que não foi em vão. E você olha pra Ele. E o olhar dEle te enche de uma paz inexplicável. Seu amor te constrange. Atinge-te como um raio. E Ele te diz que: perde para mim. Confia na minha justiça. Descansa na minha fidelidade. Eu sei o que estou fazendo. Eu estou no controle.

E aí então, prostrado você adora. Porque adoração é mais que canções. Adoração é a entrega de alguém que como Abraão sobe a montanha com seu único filho para sacrifica-lo e declara profeticamente (depois de havermos adorado voltaremos para vós – Gn. 22:5)

Adoração é a entrega cheia de esperança. É a confiança na fidelidade dAquele que era, é e há de vir.

Você já pensou na dor de Abraão caminhando por três dias pelo deserto com seu filho? Ah, como é difícil perder para Deus. Mas vale a pena.

E sabe de uma coisa, nesse deserto você anda sozinho. É um lugar  um lugar de profunda solidão e abandono. Você não encontra explicações, você só sente a dor profunda  da perda. E você vai morrendo aos poucos enquanto caminha levando quem você ama para a morte. Foram três dias para Abraão e três anos para Deus Pai. Depois, três dias na sepultura…

Mas querido eu te digo, perde pra Deus. Entrega. Vale a pena. Ele sabe o que faz, Ele está no controle e toda a terra está cheia da Sua Glória.

Nesse Reino só é livre quem entrega. O perdão te liberta. E trás consigo esperança de cura e restauração. O perdão é o nível mais profundo da intercessão. É a oração que remova montanhas. Perdoar é caminhar em direção à perfeição. Como disse o apóstolo Paulo: …” Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa eu faço: esquecendo-me das coisas que para ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento; e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos esclarecerá. Toda via andemos de acordo com o que já alcançamos.

Prossiga meu irmão, prossiga ainda que seja arrastado. Mas na pare. Não deixe que as circunstâncias determinem quem você é. Olha para o Alvo. Olha para o Cordeiro e adore. Adore…

Paz para o seu coração!

Cleonice Russo – Ministério Trio

Visite: www.ministeriotrio.com.br

Anúncios
23
nov
07

Um Fósforo, uma Bala de Menta, uma Xícara de Café e um Jornal

bala.png

logo.PNGUm fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal: estes quatro elementos fazem parte de uma das melhores histórias sobre atendimento que conhecemos.

Um homem estava dirigindo há horas e, cansado da estrada, resolveu procurar um hotel ou uma pousada para descansar. Em poucos minutos, avistou um letreiro luminoso com o nome: Hotel Venetia.

Quando chegou à recepção, o hall do hotel estava iluminado com luz suave.

Atrás do balcão, uma moça de rosto alegre o saudou amavelmente: “-Bem-vindo ao Venetia!”

Três minutos após essa saudação, o hóspede já se encontrava confortavelmente instalado no seu quarto e impressionado com os procedimentos: tudo muito rápido e prático.

No quarto, uma discreta opulência; uma cama, impecavelmente limpa, uma lareira, um fósforo apropriado em posição perfeitamente alinhada sobre a lareira, para ser riscado. Era demais! Aquele homem que queria um quarto apenas para passar a noite, começou a pensar que estava com sorte.

Mudou de roupa para o jantar (a moça da recepção fizera o pedido no momento do registro). A refeição foi tão deliciosa, como tudo o que tinha experimentado, naquele local, até então. Assinou a conta e retornou para quarto. Fazia frio e ele estava ansioso pelo fogo da lareira.

Qual não foi a sua surpresa! Alguém havia se antecipado a ele, pois havia um lindo fogo crepitante na lareira. A cama estava preparada, os travesseiros arrumados e uma bala de menta sobre cada um.. Que noite agradável aquela! Na manhã seguinte, o hóspede acordou com um estranho borbulhar, vindo do banheiro. Saiu da cama para investigar. Simplesmente uma cafeteira ligada por um timer automático, estava preparando o seu café e, junto um cartão que dizia: “Sua marca predileta de café. Bom apetite!” Era mesmo! Como eles podiam saber desse detalhe?

De repente, lembrou-se: no jantar perguntaram qual a sua marca preferida de café. Em seguida, ele ouve um leve toque na porta. Ao abrir, havia um jornal. Mas, como pode?! É o meu jornal! Como eles adivinharam? Mais uma vez, lembrou-se de quando se registrou: a recepcionista Havia perguntado qual jornal ele preferia. O cliente deixou o hotel encantando. Feliz pela sorte de ter ficado num lugar tão acolhedor. Mas, o que esse hotel fizera mesmo de especial? Apenas ofereceram um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal.

Nunca se falou tanto na relação empresa-cliente como nos dias de hoje. Milhões são gastos em planos mirabolantes de marketing e, no entanto, o cliente está cada vez mais insatisfeito, mais desconfiado.

Mudamos o layout das lojas, pintamos as prateleiras, trocamos as embalagens, mas esquecemos-nos das pessoas.

O valor das pequenas coisas conta, e muito. A valorização do relacionamento com o cliente. Fazer com que ele perceba que é um parceiro importante !!!

Lembrando que:

Esta mensagem vale também para nossas relações pessoais (trabalho, namoro, amizade, família, casamento) enfim pensar no outro como ser humano é sempre uma satisfação para quem doa e para quem recebe. Seremos muito mais felizes, pois a verdadeira felicidade está nos gestos mais simples de nosso dia-a-dia que na maioria das vezes passam desapercebidos.

Abraços

16
nov
07

Salvação

slavacao.png

logo.PNGPorque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens”. Tt 2:11

Salvação é uma palavra de profundo significado e de infinito alcance para nós cristãos. Em Efésios 6, quando Paulo descreve a armadura de Deus, ele descreve a salvação como um capacete (Ef 6:17), indicando a necessidade da conscientização deste termo e a importância de sua experiência e conhecimento.

Percebemos que em todo o Antigo Testamento, este tema é tratado através de diversas simbologias (Gn 3:15 e Is 53:4,5) com intuito de preparar todo o povo para a consumação do plano de salvação estabelecido por Deus e concretizada por Jesus.

A Salvação foi planejada por Deus Pai (Ap. 13:8 e I Pe. 1:18-20), consumada por Deus Filho (Jo 19:30 e Hb 5:9) e aplicada ao pecador pelo Espírito Santo (Jo 3:5; Tt. 3:5 e Rm 8:2), unicamente pela graça (Ef. 2:8). Através da nossa redenção em Cristo Jesus, obtemos reconciliação entre nós, Deus e os demais seres humanos; justificação (o preço do pecado já foi pago por Jesus); regeneração (ação do Espírito Santo em nós); santificação e glorificação (restauração da imagem inicial).

Salvação não significa apenas livramento da condenação do Inferno. Ela abrange todos os atos e processos redentores e transformadores da parte de Deus para com o homem e o mundo através de Jesus, o Redentor. Ela  atua em nosso passado (nos livrando da punição do pecado), presente (nos livrando do poder do pecado) e futuro (nos retirando da “presença” do pecado).

O conhecimento de Deus desenvolve a nossa fé, gerando arrependimento e comunhão com Deus, que nos levará a cumprir a vontade de Deus produzindo obras de amor. Desta forma, somos salvos para desfrutarmos do eterno amor do Pai por nós e principalmente para anunciarmos o Reino de justiça, paz e alegria a toda criatura.

Ser salvo é ser constantemente transformado e desenvolvido por Cristo e desejar ser  cada vez mais íntimo dEle e parecido com Ele. É abrir mão de nossos próprios planos e desejos cumprindo Seu chamado.

E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. Atos 4:12

Abraços

09
nov
07

Desperta Igreja

desperta-igreja.png

Edson e Márcia Suzuki com a filha adotiva, Hakami

logo.PNGNa semana passada (29/10 a 04/11) aconteceu a “3ª Conferência Desperta Igreja” na Igreja Batista da Lagoinha (BH). Esta conferência tem o propósito de despertar a igreja do Senhor para o que ocorre ao nosso redor. Muitas vezes nos fechamos e desconsideramos o mundo, enquanto na verdade temos que ir por todo o mundo e pregar o evangelho, ser luz e sal nas nações. Não podemos desconsiderar os acontecimentos do mundo, pois cada pessoa que nasce é amada por Deus e devemos amá-la também.

 Tive a oportunidade de assistir a apenas 3, das 7 reuniões que ocorreram durante a semana, mas acredito que foi o suficiente para me despertar para algumas questões. Na 6ª feira (02/11) ouvi o relato de Márcia Suzuki, esposa de Edson Suzuki, que relatou suas experiências como missionária nas tribos indígenas no norte do país. A despeito de toda dificuldade que passou, Márcia não desistiu de seu chamado, mesmo passando por situações extremas (já teve malária mais e 30 vezes!!!!), até que chegou à tribo dos índios Suruuarrás onde se deparou com uma situação lastimável…

É costume desta tribo, assim como muitas outras, a prática do infanticídio, que consiste no assassinato de crianças que nascem com alguma “anormalidade”, por mais simples que seja, como por exemplo algum dos dedos do pé grudado em outro; gêmeos; ou por ser filho de mãe solteira (nestes casos, os bebês são mortos mesmo sendo “perfeitos”). São muitos os casos que foram apresentados, mas destaco a história de Hakani, a filha adotiva do casal que aos 2 anos de idade, foi condenada a morte por sua comunidade indígena após verificar que não se desenvolvia no mesmo ritmo que as outras crianças. Seus pais que deveriam executá-la lhe dando veneno como comida, mas como não tiveram coragem, eles acabaram tomando o veneno no lugar da menina, o que obrigava o filho mais velho do casal de apenas 15 anos, a cumprir a tarefa dos pais. O menino acertou o bebê com um porrete e começou a enterrá-la ainda com vida, apesar de desmaiada. Antes de terminar de enterrá-la ele escutou o choro do bebê e a desenterrou.

A partir daí Hakani sofreu várias tentativas de assassinato e sobreviveu graças a perseverança do casal de missionário Márcia e Edson que resolveram adotá-la e enfrentaram grandes problemas na justiça por terem impedido o assassinato da indiazinha, sob a alegação de interferência na cultura indígena.

Hoje, Hakani tem 12 anos e muito saudável após se submeter a exames médicos e ser diagnosticado o hipotireoidismo que causava o atraso em seu desenvolvimento. A história teve grande repercussão e até ganhou matéria na revista Veja (Acesse o link: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/conteudo_247090.shtml) e no Fantástico (Leia matéria no link: http://fantastico.globo.com/Jornalismo/Fantastico/0,,AA1037314-4005-0-0-18092005,00.html).

No sábado (03/11) e domingo (04/11) foi a vez da Margaretha Adiwardana, uma missionária que nasceu na Indonésia e veio morar no Brasil ainda jovem. Margaretha compartilhou o drama das ilhas indonésias que possui a maior população mulçumana do mundo e na maioria dos localidades, não possui nenhuma igreja, e até falar o nome de Jesus é crime.

Que nós possamos sair da nossa zona de conforto e cumprir nosso chamado em Cristo.

Ajuda-nos Senhor!

Segue alguns links sobre missões que vale a pena conhecer:

– A Missão de Evangelização Mundial (AMEM): www.amem.org.br– Agência Missionária Betel Brasileira: www.betelbrasileiro.org.br– Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT): www.amem.org.br– AMIDE: www.amide.org– Asas de Socorro: www.asasdesocorro.org.br– Associação Transcultural Evangélica (ATE): http://www.missãoate.com.br– Atletas de Cristo: www.atletasdecristo.com.br– AVANTE – Missão Evangélica Transcultural: www.missaoavante.org.br– CCI Brasil: www.ccibrasil.org.br– CEM e Interserve: www.cem.org.br– Chamado de Cristo: www.chamadodecristo.cjb.net– Dando Asas aos que dão suas Vida: www.legagi.pop.com.br– Embaixada no Caminho: http://nocaminho.vilabol.uol.com.br/index.htm– Família Carvalho e Silva: www.elielsantos.hpg.com.br– Guerreiros da Colheita – Dra. Rebecca Brown: www.guerreirosdacolheita.com– JAMI – Junta Administrativa de Missões da CBN: www.jami.com.br– Jovens com uma Missão (JOCUM): www.jocum.org.br– Jovens da Verdade: www.jovensdaverdade.com.br– MEAP – Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores: www.meib.com.br– Ministério com Crianças: www.familiaoaense.com.br– Ministério um Grito Pentecostal: www.wanderferreira.kit.net– Missão ALEM: www.missaoalem.org.br– Missão Antioquia: www.amtb.org.br– Missão Evangélica aos Índios do Brasil: wwwmeib.com.br– Missão Horizontes: wwwmhorizontes.org.br– Missão Inter. Para o Interior da África – MIAF: www.miaf.org.br– Missão Kairós: www.missaokairos.com.br– Missão Novas Tribos do Brasil: www.mntb.org.br– Missão Portas Abertas: www.portasabertas.org.br– OM – Operação Mobilização: www.om.org.br– PMI Brasil: www.pmibrasil.org– Projeto Itália: www.projtoitalia.com– Rádio Transmundial do Brasil (RTM): www.transmundial.com.br– SEMIPA: www.semipa.org.br– Serviço de Evangelização para a América Latina: wwwlideranca.org– The New Life Mission: www.bjnewlife.org

01
nov
07

Por Que Sou Cristão

por-que-sou-cristao.png

logo.PNG“Muitos anos atrás, um garoto solitário foi a uma pequena e escura capela em busca de Deus. Mais tarde, entregou a sua vida a Cristo. Essa acabou sendo a decisão mais importante de toda a sua vida. Se não fosse por Cristo — ele reflete — sua vida seria mais uma na lata de lixo das vidas perdidas e descartadas. Em vez disso, sua vida tem sido usada para conduzir muitos outros à nova vida e a um entendimento mais profundo daquele que deu a sua vida para que nós vivêssemos. Agora ele conta a sua história espiritual e dá as razões da sua mudança de vida, do seu primeiro passo de fé no caminho que tem seguido desde então. Para John Stott, não foi ele que encontrou Cristo, mas Cristo o encontrou. Ele tornou-se cristão não porque a fé cristã é atrativa, mas porque é verdadeira; não porque merecesse ser salvo, mas porque Cristo tomou os seus pecados — e os de cada um de nós — sobre si mesmo. “Por Que Sou Cristão” mostra que a resposta para o paradoxo existente no coração humano e a chave para a verdadeira liberdade e plenitude só podem ser encontradas em Cristo. E ele faz o maior de todos os convites a cada um de nós e espera pacientemente a nossa resposta.”

Imagine-se em um ambiente acadêmico, onde o ceticismo possui cadeira cativa e temos que explicar o inexplicável, ou provar a lógica do que não é lógico.

Acredito que é mais ou menos esta situação que nós universitário passamos diversas vezes, durante o período acadêmico. Como explicar para os doutores letrados e completamente céticos que Cristo é o próprio Deus, que Ele é verdadeiro, que o cristianismo é o caminho certo, sendo que muitas vezes, não encontramos lógica nos feitos de Deus ou não conseguimos expressar o que sentimos diante da presença dEle?

Jonh Stott, de maneira sublime, conseguiu simplificar e clarear o cristianismo de tal forma que é possível apresentar este livro ao mais ateu dos seres humanos, como também, ao mais cristão, que eles serão tremendamente tocados pelas verdades que estão contidas neste livro.  Suas explicações deixam claro a verdade do cristianismo e a pessoa de Jesus, bem como a necessidade de se achegar a Ele.

Lendo este livro, encontrei muitas respostas que em alguns momentos da vida não tive para explicar a minha fé. Respostas que estão descritas na própria Bíblia, mas que por displicência, ou falta de entendimento e/ou conhecimento não encontramos no memento certo.

“…e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” 1 Pe 3:15




"Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados..." Hebreus 10:32
novembro 2007
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Categorias