Arquivo para maio \23\UTC 2008

23
maio
08

Vale de Ossos Secos

…e por seu Espírito ele me levou a um vale cheio de ossos.” (Ez 37:1)

 

Ah, como é preciosa esta passagem do livro de Ezequiel!

 

Ezequiel era um profeta eu pertencia a família sacerdotal e quando escreveu seu livro, estava exilado na Babilônia, devido as reviravoltas internacionais da época. Uma série de guerras envolvendo os “políticos” mais influentes do período acabaram por “destruir” Jerusalém.

 

A Ezequiel coube a difícil tarefa de profetizar e anunciar as palavras do juízo divino à Jerusalém e aos demais exilados, o que causava dor e desconforto a quem ouvia. Durante os primeiros capítulos deste livro, lemos passagens simbólicas a respeito da situação, mas houve mudança…

 

Após ter sido informado pelo Senhor do fim certo que Jerusalém estava prestes a experimentar, Ezequiel passava a receber palavras consoladoras e de esperança para Jerusalém. Havia reavivamento, restauração, transformação, e é neste contexto que a viso do vale de ossos secos descrita por Ezequiel se encontra.

 

Nos dois primeiros versos do capítulo 37, lemos que ele foi conduzido a um vale repleto de ossos secos pelo próprio Espírito do Senhor e lá permaneceu por alguns dias. Muitas vezes, assim como Ezequiel,somos conduzidos a uma situação de extremo desconforto como um vale de ossos secos, mas tal experiência muitas vezes é necessária, seja por conseqüência das nossas próprias ações ou mesmo para um período de aprendizado.

 

Claro que Ezequiel não teve esta visão por conseqüência de seus atos, mas sim como um profeta, que deveria emitir uma mensagem ao povo de Deus. Contudo, podemos criar uma alegoria para relacionar esta passagem com a nossa própria vida.

 

No versículo 3,m o espírito do Senhor pergunta a Ezequiel: “Filho do homem, estes ossos poderão tornar a viver?” Vejo este questionamento como um confronto da parte de Deus ao individuo que passa por uma situação adversa. As vezes, passamos por circunstâncias que aos nossos olhos não tem solução, já estão finalizadas, como no caso de ossos secos. Um vale de ossos secos, como a própria expressão sugere, no refere a um estado de sequidão, morte, solidão, lágrimas e certamente angústia. Mas cabe a nós reconhecer a soberania de Deus, assim como Ezequiel fez respondendo a pergunta da seguinte maneira: “Ó Soberano SENHOR, só tu o sabes”.

 

A partir deste reconhecimento eu retrata esperança no Senhor, Ezequiel recebe uma ordem: “Profetize a estes ossos e diga-lhes: Ossos secos, ouçam a palavra do SENHOR! Assim diz o Soberano, o SENHOR, a estes ossos: Farei um espírito entrar em vocês, e vocês terão vida. Porei tendões em vocês e farei aparecer carne sobre vocês e os cobrirei com pele; porei um espírito em vocês, e vocês terão vida. Então vocês saberão que eu sou o SENHOR.” (Ez 37:4-6)

 

Aleluia!!!! Que tremendo isso!

 

Há algumas particularidades neste trecho. Tendões, carne, pele e espírito, comumente são relacionados com a ilustração dos quatro elementos descritos por Ezequiel no capítulo 1 do verso 5 o 14, mas gostaria de fazer algumas observações no sentido “natural“ referente aos tendões, carne, pele e espírito mencionados.

 

Os tendões são responsáveis por ligar um osso ao outro. São eles que de certa forma permitem que tenhamos esta estrutura regular e interligada constituída de ossos. Os tendões permitem a união. Os ossos estavam todos separados, desconexos, e com o auxílio dos tendões, eles começaram a se unir. Acredito que o tendão é a união entre o homem e Deus. Esta união é extremamente necessária par que todo o processo se inicie.

 

A carne, enquanto seres humanos, nos permite o movimento, uma vez que é através dos músculos contraindo e descontraindo nos permite movimentar. Se os seres humanos e determinados animais não tivessem carne / músculos, não seria possível movimentar. Por sua vez o movimento nos remete a deslocamento, o que torna possível um rompimento de etapas, ou seja, evolução em nosso relacionamento com Deus. Romper em fé!

 

A nossa pele é a nossa proteção. O que separa nosso interior do exterior, desta forma, através da pele, estaríamos protegidos, separados deste mundo tenebroso.

 

Finalmente, temos o espírito, que significa Deus em nós, a própria vida!

 

Prosseguindo no texto, lemos no versículo 7 que Ezequiel obedeceu a ordem e profetizou sobre os ossos. “Enquanto profetizava, houve um barulho, um som de chocalho…” (Ez 37:7) som… barulho.. o que poderia ser se não a manifesta presença de Deus naquele lugar?

 

E assim como Ezequiel profetizava, foi feito: “e os ossos se juntaram, osso com osso. Olhei, e os ossos foram cobertos de tendões e de carne, e depois de pele; mas não havia espírito neles”. (Ez 37:7-8) faltava o espírito.  Uma estrutura tinha se formado, mas não possuía vida. Muitas vezes, podemos aparentemente viver situações confortáveis, normais, felizes, mas tudo isso não passar de aparências. Sem a vida e direção do espírito, não vamos nos mover, romper, vencer…

 

A seguir ele me disse: ‘Profetize o espírito; profetize, filho do homem, e diga-lhe: Assim diz o Soberano, o SENHOR: Venha desde os quatro ventos, ó espírito, e sopre dentro destes mortos,  para que vivam’. Profetizei conforme a ordem recebida, e o espírito entrou neles; eles receberam vida e se puseram em pé. Era um exército enorme!” (Ez 37:9 e 10). Enorme… grande… assim como o nosso Deus!

 

Ah, como isso é maravilhoso! Deus age. Ele intervem em nossa história!

 

Uma situação que aparentemente não tinha mais solução foi transformada por completo! Há esperança! Esta foi à mensagem transmitida por Ezequiel aos seus companheiros de exílio. Esta também é a mensagem de Deus para nós: Há esperança! Há esperança! Há esperança!

 

Por mais que pareça impossível, é possível!

 

Eu Creio!

Abraços!

Anúncios
16
maio
08

Bem Aventuranças

Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes.” Jo 13:17

O Sermão do Monte, também chamado Sermão da Montanha ou Sermão das Bem-Aventuranças, foi pronunciado por Jesus em um monte de Cafarnaum, dirigindo-se a todas as pessoas que o seguiam. Nele Jesus faz uma síntese das leis morais que regem a humanidade.

Acredito que era chegado o momento de fazer o sermão que abrangesse todos os ensinamentos feitos por Jesus até então, um esclarecimento formal de sua mensagem, e que os apóstolos deveriam saber de cor. Neste discurso se acha tudo o que necessitamos saber a respeito de Deus, da criação e da vida cotidiana, tanto naquela época como nas vindouras. Foi ali que Ele comunicou à humanidade inteira as oito regras básicas para todo o comportamento humano.

Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus:

Não é aquele que é pobre do ponto de vista material; não é aquele que se deprecia; não é aquele que é covarde; não é aquele que esconde seu talento. É aquele que reconhece que é: carente na esfera do espírito; que não possui as riquezas e os dons espirituais; que depende de Deus.

Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados:

O choro com valor é aquele de um arrependimento sincero ante o erro cometido, não só com relação ao próximo como com relação a Deus.

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra:

Ser manso não significava ser um covarde servil, mas um crente na bondade de Deus e na benignidade do universo, mesmo quando a alma vive imersa no sofrimento e não vê razão para isso.

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos:

Frutos de um relacionamento certo com Deus; é a justiça de caráter e de conduta; refere-se à busca pela libertação do homem da opressão.

Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia:

Misericórdia é uma disposição da alma, de ser semelhante a Cristo ao encarar amigos, inimigos, desprezados, e pecadores. É uma manifestação da conduta

Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus:

Deus deseja a verdade no íntimo. Ele quer criar em nós um coração puro (Sl 51.6,10). Os puros de coração são os inteiramente sinceros.

Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus:

Como filho de Deus, cada cristão deve ser um pacificador, tanto na igreja como na sociedade, se esforçando para viver em paz com todos, fazendo todo o possível para isso (Hb 12.14; Rm 12.18).

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus:

Cada cristão deve esperar oposição, pois a popularidade universal está para os falsos profetas, assim como a perseguição para os verdadeiros cristãos (Lc 6.26).

Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.” Ap 22:14

Abraços

09
maio
08

O Homem do Céu

“Ler este livro é como ler uma versão atual de Atos dos Apóstolos. O testemunho do Irmão Yun nos emociona e nos deixa maravilhados diante do poder extraordinário de Deus. Seu relato traz a tona o grande drama da perseguição aos irmãos chineses, que até hoje são presos, torturados e levados perante às autoridades por causa e sua fé. Esta leitura nos desafia a orar pelos cristãos da China e a dedicar nossa vida mais intensamente ao serviço do Mestre, aproveitando a preciosa liberdade que possuímos.” *

Sabe algumas situações que passamos que temos muuuuuuuita vergonha. Certamente você já passou por algo parecido! Pois é, ao ler este livro, eu tive esta sensação, e acredito que todos sentirão a mesma coisa.

È impressionante como não temos a coragem de falar de Jesus para as pessoas que nos convivemos, e através deste livro, lemos os relato de um jovem que passou pelas maiores barbaridades na China, simplesmente por falar e viver, sua fé. O pior é saber que isso ainda acontece!

O livro trás relatos impressionantes da vida do irmão Yun que ainda criança se converte para que se concretize a cura de seu pai que está prestes a morrer. Em seguida, deseja ter uma bíblia, o que é expressamente proibido em seu país, mas tem sua oração respondida, A partir de então, se torna um pregador da palavra de Deus, principalmente nos presididos onde era covardemente espancado por diversas vezes. Tanto que em uma determinada época, nem mesmo sua mãe o reconheceu, tamanha foi sua transformação física.

Neste livro podemos ler também sobre seu espetacular jejum que 74 dias sem nem mesmo beber água. Acima de tudo, podemos ler o relato de uma homem que procurou um relacionamento íntimo com o Senhor, e passou por experiências que provou do cuidado, carinho e amor de Deus para com ele, mesmo em meio as lutas e circunstâncias desafiadoras.

Neste ano, as olimpíadas serão na China, o que pode significar uma excelente oportunidade de levar o evangelho a esta nação, apesar de que outro dia, li uma reportagem que dizia que até mesmo os atletas estavam proibidos de levar bíblias ao país. Mas mesmo assim creio que eles evitaram o desconforto de transtorno com visitantes ao país, uma vez que se trata de um evento internacional, e que certamente será um espelho para investimentos econômicos no país.

Leitura obrigatória para todos os cristãos!

Senhor, ajuda-nos a nos importar com o nosso semelhante! Ajuda-nos a levar seu evangelho aos confins da terra! Proteja cada cristão do oriente, e que seu evangelho de propague sem barreiras! Em nome de Jesus! Amém.

Abraços!

Visite: www.backtojerusalem.com (site em inglês)

* YUN, Irmão; HTTAWAY, Paul. O Homem do Céu. Tradução de Cláudia Moraes Ziller de Faria. Belo Horizonte: Betânia, 2005. 336 p. Título Original: The Heavenly Man

05
maio
08

Diante do Trono no Raul Gil

Neste sábado, 10/05 o Diante do Trono participará do programa Raul Gil na Band no quadro “Homenagem ao Artista”.

 

Não percam!

 

Abraços

02
maio
08

Intimidade, Santidade, Autoridade e Conquista!

Nas últimas cinco semanas postei alguns textos a respeito do tema do Congresso Internacional de Louvor e Adoração do Diante do Trono deste ano. A começar pela oportunidade de estar presente no congresso, já me sinto muito abençoado por Deus, tendo em vista que este ano o número de vagas foi consideravelmente menor que nos anos anteriores. Cada dia ouvimos sobre um dos temas: Intimidade, Santidade, Autoridade e Conquista, que nos permitiam subir a cada ministração, um degrau a mais em nosso relacionamento com o Senhor.

 

Para finalizar esta série de textos, quero deixar registrado uma parte do texto que a Ana Paula escreveu em seu blog após o retiro de carnaval, no qual estabeleceram o tema e metas de consagração para o congresso.

_________________________________________________________

 

[…]

 

Sem intimidade não há santidade. E sem santidade não há autoridade. E sem autoridade não há conquista.

 

A intimidade com Deus é o centro de tudo em nossas vidas e a fonte para o nosso ministério. Ou seja, o serviço ao Senhor é fruto do nosso relacionamento com Ele. Sem relacionamento com Jesus o ministério se torna apenas um trabalho, quase que automático, sendo assim hipócrita, pois falamos aos outros, mas não vivemos. No último dia muitos dirão: “Senhor, em teu nome fiz isso, aquilo”. Mas Ele responderá: “Apartai-vos, não vos conheço”. Conhecer fala de relacionamento, convivência. (E atenção: as obras alegadas pelos hipócritas que o Senhor rejeitará naquele Dia não são pequenas! Expulsar demônios, curar enfermos, profetizar, não parece ser coisa de crente mais ou menos… mas isso pode ser um engano, pois, poder não significa intimidade com Deus – que é o mais importante). 

 

Para ter a tão essencial e preciosa intimidade com Deus (que além de tudo é um enorme privilégio – imagine só: o Deus Criador e Salvador do mundo quer se relacionar comigo e com você!) é preciso parar e ter tempo de qualidade com Ele. Ao longo do dia podemos ouvir músicas que nos edifiquem, fazer breves orações, mas nada substitui o “entrar no quarto e fechar a porta” para buscar o Pai, a sós. As disciplinas espirituais nos ajudam nessa busca. Leitura da Bíblia e sua memorização; Oração; Jejum; Adoração. 

 

[…]

 

Que o Senhor nos abençoe a todos, e nos ajude na busca por esta intimidade com Ele, que transformará nossas vidas, santificando-nos, para que recebamos o enchimento do Seu poder e autoridade, afim de conquistarmos para o Seu Reino.

Resumindo:

 

INTIMIDADE – SANTIDADE- AUTORIDADE- CONQUISTA

 

(Um brado de vitóriaaaaa!!!!!)*

 

_________________________________________________________

 

Amém!

 

Abraços.

 

Visite: http://blogdaana.wordpress.com

Visite: http://www.diantedotrono.com.br/cobertura_9_congresso/home.aspx

 

* VALADÃO, Ana Paula. Um carnaval de metas. Disponível em <http://blogdaana.wordpress.com/2008/02/07/um-carnaval-de-metas/&gt;. Acesso em 31 jan. 2008.




"Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados..." Hebreus 10:32
maio 2008
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias