07
dez
08

A Origem do Mal

logo

Acredito que a existência do mal é uma conseqüência da ausência de Deus, assim como a escuridão é a ausência de luz. Acredito que o mal não existe por si mesmo como uma força, um ser, sendo portanto abstrato, creio que o mal é um “estado”, assim como o amor, a paz, entre outras coisas, apesar de Satanás ser a personificação do mal. Em Gênesis 1 lemos que “a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo”, creio que trevas neste sentido era algo contrário a luz que seria criada em seguida.

Assim como somos usados por Deus, para executar suas ações na terra, podemos ser usados pelo mal, pois foi nos dado o livre arbítrio. A possibilidade de Deus utilizar o mal, não significa que Ele tenha a maldade em sua essência, mas que Ele controla todas as coisas, sendo assim, com a permissão de Deus, podemos sofrer algo mal, para nosso próprio crescimento, ou simplesmente para que se mostre seu poder, como no caso de Jó, pois no início do livro, fica claro que as situações que Jó passou não foram planejadas ou executadas por Deus, mas foram permitidas por Ele (Jó 1:12).

A relação de Deus com os israelitas no Antigo testamento, pode ser ainda mais perturbador neste sentido, uma vez que lemos claramente em Êxodo 20:13 a ordem de Deus para que os israelitas não matassem, mas prosseguindo um pouco mais na história, lemos em Deuteronômio 20:13-17 ordem do próprio Deus para destruir completamente os heteus, os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus, e os jebuseus. Que paradoxo não é mesmo? Bem, tentando esclarecer um pouco estas questões, li o livro “Deus mandou matar?: 4 Pontos de Vista Sobre o Genocídio Cananeu” (Stanley Grenz*), e segundo os pontos de vistas apresentados creio que o mais pertinente foi defendido por Tremper Longman III, que defende o ponto de vista, intitulado de “Continuidade Espiritual”  conforme relato a seguir:

Muitos cristãos tem renegado o AT, afim de evitar o envolvimento com os atos sangrentos de Deus, encontrados naquelas páginas. Eles percebem uma grande diferença entre o Deus de Josué e Jesus Cristo, que ensinou a amar os inimigos e oferecer a outra face. Entretanto desprezar o AT é mera conveniência, e os que fazem isso ignoram o fato  de que o NT  se alicerça na revelação do AT, confirmando suas mensagens, explícita e implicitamente. Além do mais, como contataremos a seguir, o NT, em última análise é igualmente sangrento. Não é admissível que simplesmente separemos o AT do cânon das Escrituras e moldemos  o Deus que adoramos de acordo com o que pensamos ser aceitável. (LONGMAN III, 2006, p. 169)*

Desta forma acredito que não podemos limitar Deus em nenhuma situação, pois seus parâmetros de amor, justiça, etc, são muito além do nosso entendimento. Ele, em sua soberania e onipotência, possui o controle de todas as coisas e as usa conforme sua vontade, para cumprir seus planos.

*GRENZ, Stanley. et al. Deus Mandou Matar?: 4 pontos de vista sobre o genocídio cananeu. Tradução de Jamil Abdalla Filho. São Paulo: Vida, 2006. 215 p. Título original: Show them no mercy: four views on God and Canaanite genocide.


0 Responses to “A Origem do Mal”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


"Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados..." Hebreus 10:32
dezembro 2008
D S T Q Q S S
« nov   set »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Categorias


%d blogueiros gostam disto: